9 de Jan de 2018

OS MISTÉRIOS DE EULIS

0 comentários

Editado: 9 de Jan de 2018

 

 

Quando se fala em ocultismo e práticas sexuais, logo vem um único nome à mente – TANTRA. A doutrina hindu do desenvolvimento integral do ser humano nos seus aspectos físico, mental e espiritual por meios de meditação, mantras, yantras e sexo acabou sendo a mais conhecida para nós aqui no ocidente, principalmente em suas duas formas – o Vidya Tantra, ou tantra da Mão Direita, que foca exclusivamente na canalização da energia para o desenvolvimento do espírito humano; e a Avidya Tantra, ou Tantra da Mão Esquerda, muitas vezes à procura de poderes ocultos e à extroversão de energia psíquica sob forma de capacidades supranormais. Porém, existem outras formas de práticas ocultistas que envolvem o uso da energia sexual para atingir determinados fins. Uma delas, surgida no ocidente, foi tão famosa e tão atacada quando surgiu que a própria Helena P. Blavatsky acusou seu fundador de traição à Tradição Sagrada e o chamou de mais perfeito exemplo de Mago Negro. Estou falando dos Mistérios de Eulis e da Irmandade de Eulis.

 

Fundada por Paschal Beverly Randolph (1825 - 1875) , afro-americano, médico, ocultista, espiritualista, médium de transe, escritor e, de acordo com A. E. Waite, fundador da mais antiga Ordem Rosacruz nos Estados Unidos (em atividade até os dias atuais).

A Irmandade de Eulis (e seus mistérios) tem como seu objetivo primordial “a capacitação de seus discípulos a se tornarem donos absolutos de seu verdadeiro Eu, pois isso lhes dará a liberdade de seguir livremente em busca do aperfeiçoamento pessoal” (Magia Sexualis – Paschal Beverly Randolph). Essa capacitação só é possível ao indivíduo que se encontrar calmo, livre de influências externas. Já havendo exercitado a vontade e a paciência, com o espírito aberto e fortalecido pelas experiências, pois o não domínio de si mesmo no uso dos ritos de Eulis poderia resultar em loucura ou até mesmo, em casos extremos, morte. Pois o poder movido na Magia Sexual, segundo Randolph, “é a energia mais poderosa da Natureza, a maior prova de que Deus realmente existe.” (Magia Sexualis).

 

 

Em sua origem, a prática dos Ritos de Eulis é extremamente polarizada, focando exclusivamente na relação sexual homem-mulher (ignorando relações homossexuais) e geralmente com o homem sendo o agente energeticamente ativo e dominador de todo o ato, cabendo à mulher a função de ser a agente passiva/incubadora da intenção mágica gerada.

Porém, com o desenvolvimento da sociedade e das práticas, outros aspectos foram acrescentados aos ritos para que os mesmos se adequassem à todas às pessoas e situações.

 

 

Os Mistérios de Eulis creem que o Universo, composto de matéria e energia, é ordenado seguindo suas próprias leis e todos os seus poderes e virtudes são cíclicos. Que somos influenciados por emanações originárias de esferas espaciais, onde habitam tanto inteligências impalpáveis como sólidas e por energias passíveis de serem controladas pelas pessoas que conseguirem estabelecer as relações entre o material e espiritual. Que além do nosso mundo existem mundos elétricos, etéreos e fluídos, inexplicáveis, mas cuja comunicação é possível através do domínio da força sexual. Basicamente, por meio da Lei de Correspondência, é possível que você, durante o ato sexual, comunique a essas forças suas intenções e estas vão responder de acordo com seu desejo manifestado.

 

 

Porém, não é apenas o ato sexual que fará isso. Será seu estado de consciência e seu domínio das técnicas, além de outros auxílios como Condensadores Fluídicos, músicas, perfumes e outros itens, que farão essa comunicação ser viável.

Essas técnicas são praticadas à exaustão por meses, e apenas após seu domínio o estudante estará apto para a realização dos ritos sexuais dos mistérios de Eulis. Basicamente são quatro técnicas – Volição, o exercício da Vontade de forma tranquila, sem ser acometido por esgotamento nervoso; Decretação, a capacidade de ordenar de forma irrefutável, de sujeitar outros seres a desejar, pensar, sentir, dizer o que desejamos. Também é a capacidade de criar entidades que obedecerão à vontade do criador; Posismo, que é basicamente a Magia dos Gestos; e Evocacionismo, a capacidade de evocar entidades, divindades, inteligências e afins. Apenas depois de dominadas essas técnicas (o treinamento de Eulis leva mais de anos) é que a Magia Sexual passa a ser de fato aplicada.

 

Essa forma de Magia pode ser aplicada para qualquer fim desejado

– do mais iluminado ao mais mundano. O Magista apenas precisa definir qual forma de decreto, pose e evocação necessária para seu fim, o condensador fluídico ideal para facilitar, entre outras coisas, e realizar o ato até o orgasmo. E, diferentemente do Tantra, que visa a retenção do orgasmo físico, em Eulis esse é superestimulado, buscando o maior prazer, com maior intensidade, quantas vezes o por quanto tempo o magista aguentar. É exatamente o orgasmo que enviará a energia ao seu destino.

 

 

Bom, essa foi apenas uma introdução (de leve) sobre o assunto. Recomendo a leitura de Magia Sexualis, de Paschal Beverly Randolph com a mente aberta (lembrando que o mesmo ainda era muito absolutista no que se refere à polaridade e relação homem / mulher), antes de pensarem em se aventurar nas práticas (extremamente prazerosas) dos Ritos de Eulis.

 

 

Abraços fraternos

 

 

Posts Mais Recentes
  • Prana é o grande alento. Prana é o Cristo Cósmico. Prana é a vida que palpita em cada átomo como palpita em cada sol. O fogo arde por Prana; a água flui por Prana, o vento sopra por Prana; o sol existe por Prana; a vida que temos é Prana. Nada poderia existir no universo sem Prana. Não poderia nascer o inseto mais insignificante nem brotar a mais tímida florzinha sem o Prana. Prana existe no alimento que comemos, no ar que respiramos; na água que tomamos, em tudo. Quando a energia seminal é sublimada e transformada totalmente, provê o sistema nervoso de riquíssimo Prana, o qual fica depositado no cérebro, como vinho de luz, como energia crística maravilhosa. Existe uma estreita conexão entre a mente, o Prana e o sêmen. Controlando a energia seminal com a força da vontade, teremos conseguido tudo, porque a mente e o Prana ficarão então sob nosso controle. Aqueles que derramam o sêmen não poderão jamais na vida controlar a mente nem o Prana. Estes são os fracassados. Quem conseguir o controle sexual, conseguirá também o controle de sua mente e o controle de Prana. Essa classe de homens alcança a libertação. Essa classe de homens consegue o Elixir da Longa Vida. Todos os imortais que vivem com o Cristo Yogue da Índia (o divino Babaji), conservam seus corpos físicos através de milhares de anos, sem que a morte possa contra eles. Estes irmãos, depois de alcançarem a suprema castidade, conseguiram o controle do Prana e da mente. Prana é a energia universal, é vida, é luz, é alegria. O principal objetivo da prática do Pranayama é conseguir a união dos átomos solares e lunares do sistema seminal para despertar a Kundalini. PRÁTICA ESOTÉRICA 1 - Sente-se o devoto em uma cadeira, com o rosto para o Oriente. 2 - Faça muita oração, rogando à Divina Mãe que lhe desperte a Kundalini. 3 - O peito, o pescoço e a cabeça deverão estar em linha vertical. Não se deve dobrar o corpo para os lados, nem para frente ou para trás. As palmas das mãos devem descansar sobre as pernas em forma muito natural. 4 - A mente do devoto deve estar dirigida para dentro, para a Divina Mãe, amando-a e adorando-a. 5 - Feche os olhos para que as coisas do mundo físico não o distraiam. 6 - Tape a fossa nasal direita com o dedo polegar, vocalizando mentalmente o mantra “TON”, ao mesmo tempo em que respire ou inale muito lentamente o ar pela fossa esquerda. 7 - Feche agora a fossa nasal esquerda com o dedo índice. Retenha o alento. Envie o Prana aos órgãos sexuais para ativar as energias e pronuncie mentalmente o mantra “SA”… 8 - Exale lentamente pela fossa nasal direita vocalizando mentalmente o mantra “HAM” e imagine as energias subindo pelos dois canais simpáticos até o cérebro e depois descendo até o coração. 9 - Tape agora a fossa nasal esquerda com o dedo índice. 10 - Inale a vida, o Prana, pela fossa nasal direita, vocalizando mentalmente o mantra Ton. Retenha o alento vocalizando o mantra “RA”. Feche as duas fossas nasais com os dedos índice e polegar. Envie o Prana ao centro magnético do cóccix para despertar a Kundalini. 11 - Exale muito lentamente pela fossa nasal esquerda, vocalizando mentalmente a sílaba mântrica “HAM”, e imagine as energias subindo pelos dois canais simpáticos até o cérebro e depois descendo até o coração. 12 - Isto constitui um Pranayama completo. 13 - Seis (6) Pranayamas seguidos devem ser realizados ao amanhecer e ao anoitecer. 14 - O devoto levantar-se-á de sua cadeira e ajoelhará no chão. 15 - Colocará agora as palmas das mãos no solo, com os polegares se tocando. 16 - Inclinado para diante, prostrado em terra, cheio de suprema veneração, com a cabeça para o Oriente, apoiará sua testa sobre o dorso das mãos, ao estilo egípcio. 17 - O devoto vocalizará agora com sua laringe criadora o poderoso mantra “RA”, dos egípcios. Esse mantra se vocaliza alongando o som das duas letras que o compõem, assim: RRRRRRRRAAAAAAA. Vocalize sete vezes consecutivas. Estes são os dezessete pontos do Pranayama Egípcio. O mantra Ra tem o poder de fazer vibrar a Kundalini e os chacras para despertá-los. Os mantras do Pranayama são: TON – SA – HAM -TOM – RA – HAM. Com o Pranayama se desperta a Kundalini. Com o Pranayama se dissipam as tenebrosas regiões das trevas e inércia. Com o Pranayama dissipamos a preguiça e a estupidez. O Prana se relaciona com a mente. A mente é o veículo da vontade. A vontade deve obedecer à Grande Alma do Mundo. Todos os veículos internos devem ser controlados com o Pranayama. Prana é a vida. A fossa nasal direita é solar. A fossa nasal esquerda, lunar. As duas testemunhas se relacionam com as fossas nasais. As vesículas seminais estão unidas às duas testemunhas mediante um par de cordões nervosos. Em última síntese, podemos assegurar que as duas testemunhas do Apocalipse nascem nas vesículas seminais. As duas vesículas seminais são os dois oceanos da vida. Conta-se que Moisés encontrou seu Mestre na confluência dos dois oceanos. Ensinamos neste capítulo um Pranayama egípcio para os devotos do mundo ocidental. Aqueles que quiserem despertar a Kundalini, devem persistir diariamente e durante toda sua vida no Pranayama. A sala destinada à prática do Pranayama não deve ser úmida, nem tampouco mal ventilada, ou suja. Deve ser um quarto limpo, puro, asseado. Também se pode praticar o Pranayama no campo, na montanha, à margem do mar, etc., etc. Com o Pranayama, transmutamos a energia sexual em energia crística. Com o Pranayama despertamos a Kundalini e abrimos totalmente os chacras. O Pranayama é um sistema de transmutação sexual para solteiros.