6 de Nov de 2017

APRENDENDO FORMAS DE ELEVAR E CANALIZAR O PODER PESSOAL

1 comentários

Editado: 6 de Nov de 2017

 

 

 

Quando fiz a postagem “PRECISAMOS FALAR SOBRE IMPOTÊNCIA...MÁGICA”, imaginei que haveriam perguntas sobre o assunto. Mas uma me chamou atenção. Num tom muito bem humorado (o objetivo da postagem era manter um bom humor), um amigo perguntou se existia alguma forma de “Viagra Mágico” que pudesse solucionar o caso dos amigos que estão com a “varinha meio molenga....”

Como respondi no próprio post, um “Viagra Mágico” não existe. Porém, como o problema é no campo interpessoal, existem certos subterfúgios que podem ser utilizados para aqueles que, por algum motivo, estão tendo dificuldades em elevar e manter a energia para a realização de sua Grande Arte. E hoje estou aqui para enumerar algumas delas.

 

1 - ORGASMO (Clássico...)

Essa provavelmente é de conhecimento geral, então achei por bem citá-la primeiro, mas a energia sexual costuma ser uma das mais utilizadas fontes para elevação e canalização de Poder Pessoal.

É uma fonte abundante e pura, e mesmo para aqueles solteiros (ou cujo parceiro não se disponha à esse tipo de prática) a masturbação é tão válida quanto o sexo a dois para realizar o intento. O problema é que é difícil manter o exato equilíbrio entre envolver-se na Energia Sexual sendo elevada e manter a concentração no Objetivo Mágico. Não recomendo para quem nunca exercitou práticas de magia sexual, pois é muito fácil perder-se na energia do orgasmo e esquecer o objetivo, ou focar-se tanto no objetivo que o orgasmo, caso ocorra, acaba por ser mais um orgasmo físico que uma elevação espiritual. Também recomendo apenas para casos em que o objetivo já esteja muito bem estabelecido, como energização de ferramentas ou alimentação de Servidores (que sejam bem instruídos a não tornar isso um vício/obrigação e acabar por tornarem-se vampiros de seus Senhores).

 

 

2 - DANÇA EXTÁTICA

 

Essa é excelente para aqueles que adoram sons berrantes nos fones de ouvido e adoram dançar (principalmente em raves). A dança extática é uma maravilhosa fonte de energia, onde se pode ter menos risco de perda de controle que no caso do orgasmo (mas ainda existe).

Quando for realizar sua Grande Obra, no momento que precisar elevar o seu Poder Pessoal, comece a dançar. Escolha uma música que comece suave e vai se elevando aos poucos (existem muitos exemplos que podem ser encontrados no Youtube, recomendo Sidhenearlahi set - Omnia).

Vá elevando sua energia enquanto a música vai aumentando. Aumente sua cadência até parte de sua mente perder-se na música, enquanto outra sustenta firmemente o Objetivo Mágico fixado. Quando a música chegar no seu ápice, libere a energia acumulada, seja com um grito, seja direcionando as mãos para onde está sendo feita a Operação, de vá parando aos poucos, até terminar a música com as mãos no chão e o agradecimento pela Obra realizada nos lábios e na alma.

 

 

3 - SONHAR ACORDADO

 

Esse é o exemplo que, pessoalmente, mais recomendo, por ser relativamente fácil e ter menos chance de vc perder a concentração de seu objetivo mágico. Esse aprendi com uma amiga que tinha uma banda, e tinha sérias dificuldades em manter a concentração e a visualização de forças que ela nunca tinha visto na mente.

Falar para ela “visualize seu poder fluindo para o centro do círculo” era a mesma coisa que falar “desenhe uma choloponpila” (fãs de Chaves entenderão). Ela simplesmente não conseguia associar a ideia do que estava visualizando com a sensação de Energia Pessoal que devia criar. Então um dia, após muita frustração, “brochadas mágicas “ e quase desistir, ela leu o livro Witchlight, de Marion Zimmer Bradley. Lá, uma personagem, para evocar seu Poder Pessoal, começa primeiro a visualizar-se tocando na banda que ela tinha no período da faculdade, e depois a visualizar-se no pregão da Bolsa de Valores. Como essa minha amiga tinha uma banda, ela resolveu fazer o mesmo, e disse que funcionou perfeitamente. Eu testei algumas vezes e posso dizer que realmente funciona que é uma maravilha.

 

 

Mas qual é o truque, Mister M? É fácil, irmãos. Escolham algo que conheçam. Que tenham muita afinidade e desperte arrepios em você só de lembrar. Pode ser uma noite especial de prazer, pode ser canto, pode ser a lembrança de um trecho de um livro ou filme, uma escalada, um arremesso de pedras (especial para quem quer enviar energia), ou qualquer coisa que desperte em você a sensação de crescer. Sustente essa lembrança enquanto performa sua Grande Arte. Faça-a elevar, sinta como se estivesse revivendo aquele momento, até que o arrepio torne-se intenso e você libere essa energia em direção a seu objetivo. Acredite, é MUITO eficaz.

Esses são só alguns exemplos. Com base nesses você pode acabar criando sua própria técnica pessoal de elevação de Poder. Porém, mesmo eles não funcionarão se você não se preocupar em desenvolver algo que chamo de Divisão de Mentes.

 

A DIVISÃO DE MENTES

 

 

 

Quem já leu As Crônicas do Matador do Rei sabe exatamente do que estou falando. Nessa obra, os personagens trabalham com várias formas de conhecimentos ocultistas. O mais utilizado é a Magia Simpática. Nessa forma de Magia, o magista, com sua mente, estabelece a ligação simpática entre dois objetos e, através de transferência de energia (principalmente calor) eles são capazes de alterar uma coisa ao manipular seu equivalente. Só que, em certos casos, eles precisam fazer mais de uma conexão ao mesmo tempo, e para isso ele “dividem” sua mente, deixando cada parte responsável por manter uma conexão. Na história eles podem dividir o número de vezes que seu Alar (sua Vontade) permite. E é essa ideia que usaremos para fins dessa prática.

 

Na verdade, nós meio que já fazemos isso de forma inconsciente. Quantos de nós, ao fazer a barba, pensamos nos problemas do dia? Resolvemos o que faremos, que contas pagar, onde ir… Isso sem necessariamente deixar de fazer a barba, ou qual tipo de atividade estamos realizando. Então, aconselho aos que resolverem tentar essa técnica levar isso além. Como? Criando um irmão gêmeo mental. Converse com ele como você faz normalmente ao conversar consigo mesmo (sim, todo magista faz isso), mas dessa vez eleve o nível. Aguarde sua resposta. Tenha debates sobre qualquer assunto com ele, você defendendo um ponto de vista e ele fazendo a argumentação e defendendo o outro. A ideia é reforçar sua mente para que ela trabalhe em duas coisas diferentes e ao mesmo tempo. Assim, enquanto uma mente ocupa-se em manter o ritual funcionando, a outra fará a elevação e canalização de energias, sem que nenhuma perca o foco da Grande Arte que estará sendo performada.

 

Espero que esse texto tenha ajudado aos irmãos com dificuldade em suas práticas. E espero que tenham gostado desse texto, que acabou mais longo do que eu pensava.

 

Abraços fraternos.

 

P.S - Lembrando aos irmãos que essas técnicas devem servir de paliativos, e não tornar-se muletas onde o praticante sempre se apoiará invés de buscar todo seu potencial. Continue com seus exercícios mentais. Fortaleça sempre sua própria personalidade e Verdadeira Vontade para que não fique dependente de nada que possa restringir seu potencial e seja capaz de até mesmo realizar a Grande Arte no meio da rua, enquanto atravessa o semáforo, se necessário

Mar 29

Ótimo post!!! Todas as formas aqui apresentadas são excelentes. Mas quero agradecer especialmente por nos apresentar essa banda, Omnia. É extremamente viciante e tem muitas músicas simplesmente fantásticas. Já tenho a trilha sonora do meu próximo "sabbath".

Abraços e obrigado.

Posts Mais Recentes
  • A alguns anos já compreendia o que era ser uma esponja de energia negativa, mesmo sem estudar a fundo. Tive um amigo que fez meu mapa astral e me falou o quão era normal eu me aproximar de pessoas carregadas de sentimentos negativos. Comecei a analisar as pessoas ao meu redor e vi o quão isso era real, a maioria das pessoas próximas a mim possuíam sérios problemas emocionais. Não achava isso nem um pouco ruim, era bom saber que, de alguma forma, eu podia ajudar cada uma dessas pessoas. O tempo foi passando e com ele, fui notando que cada uma dessas pessoas foi ficando para trás. A principio, é algo comum, alguns se mudavam, outros iam estudar, hoje mesmo, eu estudo em outro estado, mas sempre procuro mandar mensagens aos que ainda são chegados. Mas, o que, com o tempo passou a me incomodar, é que comecei a reparar algo: As pessoas que foram deixando de falar comigo só o faziam quando estavam totalmente bem.(Nesse processo, ajudei duas ex namoradas a pararem de se auto mutilar, por exemplo, e tais namoros ruíram pouco depois disso). Além de tantos casos que poderia citar. Hoje, me peguei pensando no quanto me afastei da minha melhor amiga, e o fato dela ter se afastado apenas após reatar o namoro. Percebi que só era procurado quando havia algum problema. Nunca me importei em ajudar, mas admito que é difícil; É uma sensação de parecer que nada foi verdadeiro, com nenhuma dessas pessoas, que eu fui apenas útil, e, enquanto fui, elas estavam próximas; não me arrependo e fico feliz do que fiz pelos outros, mas isso sempre me exigiu demonstrar estar sempre bem, para ser o pilar de apoio dessas pessoas; o problema é não ter esse alguém que o sustente quando as coisas ao seu redor desmoronam e ter que sustentar sempre a si mesmo.
  • Magia negra e esoterismo envolvem condenação de nômade por estelionato Publicado por Correio Forense há 5 anos A 3ª Câmara Criminal do TJ manteve decisão de 1º grau que condenou um homem à pena de um ano de reclusão, em regime aberto, substituída por prestação de serviços comunitários, pela prática de estelionato. Cigano de origem, o réu induziu um casal de agricultores idosos, de cidade do interior catarinense, a acreditar que possuía poderes paranormais capazes de, através de poções mágicas e despachos, reverter moléstias e destinos na vida das pessoas. Pelos serviços, cobrou quase R$ 6 mil. Parte do dinheiro foi recuperada quando de sua detenção pela polícia, após as vítimas notarem que haviam sido ludibriadas. Em apelação ao TJ, a defesa do réu sustentou nulidade processual por falha na citação e pediu a absolvição ou a desclassificação de estelionato para o delito de curandeirismo. A câmara rejeitou os pleitos. Segundo o desembargador Torres Marques, relator da matéria, foram esgotados todos os meios de cientificação pessoal do réu antes da citação por edital. Ocorre que o homem, em seu depoimento, confirmou tratar-se de pessoa nômade, sem residência fixa, que costuma se movimentar pelas diversas regiões do país sem definir local de moradia. O acórdão esclarece ainda a impossibilidade de desclassificar o delito para curandeirismo, visto que os valores cobrados pelos serviços não eram correlatos. ”O dolo na conduta do agente é evidente”, reiterou o relator. A decisão foi unânime (Ap. Crim. n. 2012.017924-7). Fonte: TJSC
  • (confesse... você já broxou na hora H). Calma, irmão... O assunto não é sobre o mau funcionamento do seu amigo (ou do amigo de seu parceiro), mas de como muitas vezes nós magistas, homens E mulheres, passamos pela desagradável situação de sentir nossa Magia falhar no momento que mais precisamos. Às vezes, estamos no círculo ritual buscando aquela ligação com os irmãos, quando de repente todo mundo parece atingir o auge do ritual em êxtase e você ainda está tentando elevar sua energia. Ou estamos embaralhando nosso tarô, mexendo as runas no saco, ou qualquer método adivinhatório que vocês utilizem, e quando lançamos mão de nosso oráculo em busca de resposta, ele fica mudo. Ou passamos horas e horas trabalhando naquele servidor, só para vê-lo desfazer-se como se nada tivesse sido trabalhado nele. Mas por que isso acontece? Por que algo que amamos tanto muitas vezes parece escapar por nossos dedos? Por que pessoas criam altares tão lindos e o nosso fica naquele basicão de Caldeirão - centro; Athame - leste; Varinha - Sul; Cálice - Oeste e Pentáculo - Norte? Por que nosso Servidor parece um desenho de jardim de infância e o do pessoal do meu grupo de Magia do Caos fazem servidores maravilhosos? Bom, nesse momento eu terei que fazer novamente uma analogia entre a prática mágica e o ato sexual e dizer - o problema está na sua cabeça. Quando ficamos comparando o nosso material com o material dos outros, a não ser que sejamos extremamente narcisistas, acabaremos sendo atingido pelo espírito da Inveja. Existem irmãos que são verdadeiros artistas visuais. Fazem fotos maravilhosas de seus altares e rituais; criam suas própria peças mágicas pois dominam o artesanato. Fazem poesias evocatórias maravilhosas, verdadeiras inspirações divinas; ou desenham figuras e quadros de uma beleza irreal. E isso pode ser bem intimidante. Mas isso é um talento deles. Talvez você não tenha esse talento. Talvez a figura de seu servidor seja praticamente um boneco de palitinhos. O seu altar pode ser apenas um copo de água e uma vela. Suas palavras rituais não sejam rimadas e seus feitiços praticamente básicos. Mas o importante é sua Vontade e Dedicação ao que você está fazendo. Do outro lado, as palavras, os aparatos, os desenhos, não são nada. São gatilhos para ativar os Verdadeiros Sentimentos, que transformados em energia são compreendidos pelas Forças a quem são direcionados e fazem com que sua Magia tenha sucesso. Quando estiver performando sua Grande Arte, diante das Forças que auxiliarão na realização dos seus desejos, esqueça os rituais dos amigos e conhecidos. Esqueça que você talvez não tenha memorizado um poema de dez páginas sobre o ritual que irá fazer. Que seus instrumentos mágicos sejam simplórios e que seu servidor pareçam rabiscos infantis. O que importa é a energia que você estará levando para o seu ritual, e a Vontade Verdadeira aplicada com Fé no êxito de seu desempenho. Ignore o resto do Mundo e coloque ali toda fé do seu Verdadeiro Eu. Ou, se você permitir que esses pensamentos bloqueadores continuem minando sua vontade e fé em si, na hora de fazer sua Arte o resultado será inevitável... Até a próxima Abraços fraternos