O que é bruxaria? Como começar?


Olá a você que tem interesse pelo tema bruxaria! Sinta-se em casa. Retire os sapatos, as amarras e simplesmente relaxe!

Mas afinal, o que é bruxaria?

Pense em como você chegou aqui. O que te atraiu para o tema? Foi um livro que você leu? Um filme que você assistiu? Foi Harry Potter? Você provavelmente tem muitas perguntas. Magia é real? Posso me transformar num coelho? Bom, talvez você se decepcione ao saber que a prática de bruxaria é mais metafórica que você imagina. Ou seja, ela tem a ver com simbologia. Bruxaria, feitiçaria, magia têm pontos diferentes, mas a princípio iremos tratá-los da mesma forma. Eu chamo de bruxaria um conjunto de práticas de rituais que acontecem durante um período de tempo. E chamo de bruxa (ou bruxo) a pessoa que tem um determinado estilo de vida e que pratica tais rituais.

O que é magia? É criatividade aplicada à vontade. É teatro, música, artesanato, gastronomia e todas as formas de Artes que você puder imaginar voltadas para seus sentimentos, desejos e aspirações. É forma de louvor através da criação. A Bruxa apresenta ao universo sua obra e eleva seus pensamentos de modo com que consiga o que deseja e agradeça pelo que já alcançou.E como as bruxas praticam Arte? De tantas formas quanto a imaginação permitir. Há alguns elementos parecidos, tais como: presença de um altar e neste altar representações de 4 elementos: água, fogo, terra e ar. Bruxas usam ervas, plantas e flores.

E que estilo de vida seria? Um estilo conectado à natureza, aos elementos, aos mais diversos simbolismo. É preciso ter coração e mente abertos para estudar sempre sobre tudo. Por exemplo, existem bruxas que praticam magia natural, outras que praticam magia do caos e por aí vai. Existem as bruxas solitárias e as das mais diversas tradições que você puder imaginar.

Existem bruxas que acreditam em vários deuses. Existem bruxas que seguem panteões específicos. E outras que não acreditam em nenhum, que são agnósticas e até mesmo ateias.

Então qual tipo de bruxaria você segue?

Meu maior desejo é unir a bruxaria com ecologia e também questões sociais pertinentes ao novo milênio. Sou adepta ao ecofeminismo. Por quê?

O mundo em que estamos é dominado por homens. Isto é estatística. Na política, nos cargos mais altos de poder... Os homens "controlam" o mundo social.

Acontece que a maior parte deles é governada por ganância e um poder de tomar à força e destruir. Desta forma, agem como se os recursos da Terra fossem infinitos. E não o são! Agem como se pudessem tomar os corpos das mulheres (estupro) e ocupar a Terra como se deles fosse.

Estamos longe do feminino. Tanto que as características tidas como típicas de mulheres são colocadas como negativas. Quem nunca ouviu a expressão: "você joga como uma mulherzinha", ou "não aja como uma garota"?

Pois é, são expressões usadas de forma negativa para destruir o feminino. Por isso precisamos resgatar o feminino, resgatar a ecologia, cultuar a Terra.

Em nossa sociedade atual, avançada tecnologicamente mas desprovida da presença do Divino Feminino, podemos comprovar, cada vez mais, o desequilíbrio humano (físico, mental, emocional e espiritual), evidenciado na poluição, degradação e destruição do planeta, gerando, assim, uma crescente necessidade de nutrir e ser nutrido, de amar e ser amado, de encontrar a paz interior e criar harmonia a seu redor. [...] A "volta" da Grande Mãe foi favorecida pelo movimento feminista, pelo despertar da consciência ecológica, pelas novas teorias científicas que vêem a Terra como um "todo vivo" (a hipótese Gaia), pelas novas descobertas e reavaliações arqueológicas e antropológicas, pelo reavivar das antigas tradições xamânicas, pela necessidade dos rituais, pelo retorno da Astrologia e dos oráculos e pelo surgimento da psicoterapia, das terapias naturais e alternativas.

O Anuário da Grande Mãe - Mirella Faur

Lembrando que o ceticismo é também uma ferramenta importa que nos faz evitar "as famosas roubadas" e até mesmo confusões mentais. Questionar, duvidar é muito importe. Não há bruxaria sem ciência. O uso das ervas e dos instrumentos precisa estar em comunhão com a ciência. Entretanto, estar a favor da ciência não é mesmo que ser cientificista e colocá-la acima de tudo.

Ora, você tem todo o direito de basear sua prática na máxima "olho por olho, dente por dente". Tem todo direito de praticar magia destrutiva, no melhor estilo "se me atacar eu vou atacar" ou "sai pra lá que coloco seu nome no caldeirão". Tem todo direito de maldizer e ameaçar pessoas, afinal, bruxa que é bruxa não acredita no conceito vulgar de bem ou mal.

Entretanto, a bruxaria que quer arrancar dinheiro de seus fieis promovendo "amarrações" (trago seu amado em 3 dias) me interessa pouco. Você vai achar várias receitas que se parecem com as de bolo para isso. A bruxaria que eu desejo seguir é mais complexa e lida com questões mais urgentes que a vida entediante de quem está desesperado pelo ex. Eu acredito que a Terra é na verdade Gaia.

Gaia, a deusa

A hipótese Gaia foi elaborada pelo cientista inglês James Lovelock no ano de 1979, e fortalecida pelos estudos da bióloga norte-americana Lynn Margulis. Essa hipótese foi batizada com o nome de Gaia porque, na mitologia grega, Gaia era a deusa da Terra e mãe de todos os seres vivos. Segundo a hipótese, o planeta Terra é um imenso organismo vivo, capaz de obter energia para seu funcionamento, regular seu clima e temperatura, eliminar seus detritos e combater suas próprias doenças, ou seja, assim como os outros seres vivos, um organismo capaz de se autorregular. De acordo com a hipótese, os organismos bióticos controlam os organismos abióticos, de forma que a Terra se mantém em equilíbrio e em condições propícias de sustentar a vida. A hipótese Gaia sugere também que os seres vivos são capazes de modificar o ambiente em que vivem, tornando-o mais adequado para sua sobrevivência. Dessa forma, a Terra seria um planeta cuja vida controlaria a manutenção da própria vida através de mecanismos de feedback e de interações diversas.

"A hipótese Gaia"; Brasil Escola. Disponível em <http://brasilescola.uol.com.br/biologia/hipotese-gaia.htm>. Acesso em 11 de agosto de 2016.

Uma bruxaria pela Mãe Terra

Acreditamos que a Terra é a Gaia. Desta forma, a Deusa não domina a Terra, ela é a Terra. Estamos enfrentando tempos difíceis em que a busca por recursos é diária. A Terra não sofre com as atitudes dos homens, mas responde à altura. Somos nós que sofremos com a mudança climática. Por isso, nossa bruxaria se baseia nos três pilares: 1 - Respeito máximo a Gaia. Temos que aprender diariamente a ser mais sustentáveis e ecológicos. Não existe "jogar lixo fora", pois não existe "fora". Gaia nos envolve completamente, somos dependentes dela como um bebê é dependente no útero de sua mãe. 2 - Respeito máximo a si. Muitas vezes nos cobramos demais. Somos aprendizes e podemos ir com calma. Precisamos aprender a respeitar nosso corpo, a conectá-lo com Gaia. 3 - Respeito a todos os outros seres. Parta do pressuposto do respeito. É óbvio que se alguém te tratar mal seu instinto é revidar. Mas tente, na medida do possível, a manter a convivência harmoniosa e longe da disputa de egos.

Então como fazer bruxaria?

Para respeitar Gaia é preciso conhecê-la. Estudar biologia, herbologia. Vamos falar sobre a propriedade curativa das ervas, das plantas no geral.

É preciso também aprender permacultura. Como plantar sem agredir o solo. Como reciclar e conviver em comunhão com a Terra. Tudo isso é bruxaria no sentido mais natural da palavra.

Para respeitar a si é preciso embarcar na jornada do autoconhecimento. Manter seu diário de práticas mágicas facilita. Anotar sonhos, escrever sobre angústias. Enfim, conversar sobre si, sobre seus sonhos, desejos. Você pode conversar com os deuses ou num espelho: não importa, a jornada para o autoconhecimento é longa e é apenas sua.

Para respeitar a todos os outros seres é preciso aprender etologia, estudar sobre o comportamento animal. Tentar se aproximar de outro ser que seja você ou da sua habitual. É também estudar sobre sociologia e antropologia e abrir sua mente para outros tipos de pensar e de vida.

Ufa! A jornada é longa, mas também é menos assombrosa que você imaginava! Sim, vamos estudar, de mãos dadas e caminhar para nos manter em harmonia com Gaia - e também para a sobrevivência da espécie.

#Feminismo #Ecologia #Bruxaria #Iniciantes

© 2020

Arte, Magia & Liberdade 

Criado por Lua Valentia 

  • clube de autores
  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Instagram
  • SoundCloud ícone social
  • Spotify ícone social