Começando a estudar Magia


É muito comum que, ao descobrir que Magia não é apenas obra de ficção e que existem variadas escolas e doutrinas de Magia, muitas pessoas ficam extremamente empolgadas, mas ainda confundem o verdadeiro estudo de Magia com os contos de fada, filmes, séries de TV, etc. Querem logo levitar, voar, arremessar coisas com a mente, lançar feitiços, falar com espíritos, disparar raios mortais pelas mãos ou pela ponta de uma varinha mágica, ver o futuro, e muitas outras coisas.

O que muita gente não leva em conta é que estudar magia exige um rigoroso treino da mente, e é nisso que vamos focar aqui, ainda que de maneira breve. Segundo Crowley, um importante estudioso do assunto, "Magia é a Ciência e a Arte de Provocar Mudanças em Conformidade com a Vontade." E o que é a Vontade senão ter um objetivo firme traçado em sua consciência e torná-lo realidade? Assim, também podemos citar a definição de outra importante magista, H.P. Blavatsky: "Ela (Magia) é a arte de utilizar conscientemente os poderes invisíveis (espirituais) para produzir efeitos visíveis." Ou seja, podemos enxergar a importância da consciência no estudo da magia.

Sendo a mente a esfera mais alta de consciência a qual o ser humano comum tem acesso, dominá-la é o primeiro passo para a prática de Magia. É necessário, independente de qual das diversas linhas de estudo que este meio engloba, uma dedicação diária ao treino da mente. Estabelecer uma rotina detalhada e ter um diário é de grande ajuda para esta tarefa.

Franz Bardon, um importante mago e ocultista, escreveu em seu livro, Magia prática, um resumo para domínio da mente que pode ser verificado a seguir. Tentarei comentar para melhor esclarecimento, sendo que o texto original está em negrito e entre aspas, e o comentário segue abaixo.

"I - Instrução mágica do espírito:"

Aqui já temos noção da importância do treinamento da mente, já que ele categoriza essa prática como "Instrução mágica do espírito".

"1.Controle do pensamento.

2.Disciplina do pensamento.

3.Domínio do pensamento."

"Para 1: Controle do pensamento duas vezes ao dia, durante cinco a dez minutos."

Podemos notar a importância da rotina diária, e da repetição do exercício pelo menos duas vezes por dia.

"Para 2: Não permitir que certos pensamentos aflorem. A fixação de um deter minado pensamento escolhido pelo aprendiz. Constatação do vazio, da ausência de pensamentos."

Aqui ele dá três tarefas. Primeiro observar os pensamentos e não permitir que pensamentos alheios surjam. Se está trabalhando, pense no trabalho. Se está em casa, pense na família. Se está meditando, foco na meditação.

Logo depois é sugerido que se pense em um pensamento fixo durante o exercício e não deixe outro tipo de pensamento surgir.

Por último (e o mais difícil) esvaziar a mente de todo e qualquer pensamento.

Observe que ele dá essa sequencia para ser trilhada progressivamente, de acordo com o ritmo que cada um alcança cada estágio.

"Para 3: Adoção de um diário mágico. Autocrítica. Planejamento de processos de pensamento para o dia seguinte ou a semana seguinte."

Verifica-se dessa forma a importância que é dada ao planejamento e registro de todo o processo, bem como a necessidade da autocrítica quanto ao próprio progresso.

Este foi um resumo sobre a importância do treinamento da mente e sua prática. Você pode encontrar muito mais no livro integral de Franz Bardon, que é ótimo para guiar qualquer iniciante no estudo de Magia. Segue o link abaixo:

http://static.tumblr.com/jstn12f/dBZnkx7am/magia_pr____tica__franzbardon_.pdf

Até mais!


© 2020

Arte, Magia & Liberdade 

Criado por Lua Valentia 

  • clube de autores
  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Instagram
  • SoundCloud ícone social
  • Spotify ícone social