Os Ancestrais da Viada Chama (Trabalhando com os Ancestrais LGBT)


“Nós somos muitos, guardiões do antigo mistério

A subida da serpente ódica, o beijo de lúcifer

Que trás luz a mais antiga verdade: o Desejo é livre

E a liberdade é a raiz do verdadeiro desejo.

Não nos tentem conter em uma única sexualidade

Sou o homem que mordeu a maçã,

A mulher cujo corpo não a espelhava,

Eu sou aquele que fugiu da convenção, que está para além da aceitação

Eu sou a diferença que se faz da própria diferença

Eu sou o fim do modelo, a luz da sagrada chama;

Eu sou o sagrado amor da união

Da Terra e das Estrelas.”

(A Oração dos ancestrais - Felix A. Mecaniotes)

O culto aos ancestrais é talvez uma das mais significativas expressões humanas de religiosidade; vale lembrar que existem registros de que os homens pré-históricos, conhecidos como Neanderthais já enterravam seus mortos, essa prática é um dos sinais que os pesquisadores usam para determinar o grau de sofisticação destes povos, ligando claramente o respeito aos mortos, seja de caráter pratico ou ritual, à existência de um grau de cognição elevado.

O modo como este culto é feito varia entre as diversas expressões do sagrado, no próprio Cristianismo, ele permanece na adoração aos santos católicos, como mortos importantes para a história da igreja que tem a função de interceder junto à divindade, nas praticas afrobrasileiras, os ancestrais são um ponto central do culto, uma vez que algumas das divindades encanaram diversas vezes na terra, tornando-se ancestrais de valor na linhagem real de diversas tribos que originaram as linhas de trabalho.

E, no fim das contas, o que é um ancestral dentro da bruxaria? Normalmente quanto falamos em ancestrais, a primeira face desse complexo aspecto de nossa espiritualidade, é a honra à nossa linhagem de sangue, aqueles que trouxeram através do sexo a criação de quem somos no plano físico, carregamos em nosso sangue nosso DNA e também grande magia, algumas tradições inclusive dirão que dons são passados de geração à geração através do sangue.

Não é deste tipo de ancestral que estamos falando quando propomos a honra aos Ancestrais da Chama; honramos na púrpura chama aqueles que morreram ao fazer valer a verdadeira expressão de quem são, aqueles que morreram para que os direitos dos LGBT fossem criados, aqueles que morreram porque eram homossexuais, os milhares que foram mortos em câmara de gás com triângulos rosas em suas blusas, os transexuais que morreram nas operações pioneiras, as transexuais que morrem todos os dias nas ruas da cidade, aqueles que morreram para nos proteger, independente de sua sexualidade ou gênero, aqueles que quebraram os padrões da sociedade e pagaram por isso.

Cito como exemplo, meu próprio altar destes ancestrais, em estão figuras como Lili Elbe, Allan Turring, os membros da rebelião de Stonewall, os jovens em Orlando e aqueles que infelizmente perdi em minha trajetória, mesmo aqueles que não conheci diretamente, mas cuja morte me fez sair um tanto menos de casa —eu mesmo quase me junto a eles entre os deuses algumas vezes.

Entendemos que estes são os nutridores, estes são aqueles que morreram para que nós estivéssemos aqui hoje, para que nós tivéssemos a liberdade de expressar nossa sexualidade, ou nossos verdadeiros gêneros ou mesmo nossas essências selvagens e é nosso dever usarmos de nossa existência aqui hoje para garantir às gerações futuras que eles possam exercer ainda mais quem são através do Poder que é a Liberdade, a maior dádiva dos deuses.

O dever que temos enquanto bruxos é usarmos nossa magia para honrar estes ancestrais através da continuação de seu trabalho, é isso que a Viada Chama Púrpura se propõe: a criação de uma egregora de proteção e extensão da diversidade de maneira que cada homem, cada mulher, cada um, possam experimentar em si, sem receio, esta expressão do sagrado que não é de forma alguma um terceiro sagrado, um terceiro mistério, mas a manifestação do grande mistério da vida que é o prazer que existe em cada um de nós.

Não me alongarei aqui, pois pretendo colocar em outros textos, formas honrar estes ancestrais; mas podemos começar com incensos, creio que os incensos de Ametista, Canela e Almiscar são os mais indicados para acessar esta egregora, em meu próprio altar mantenho uma caveira mexicana nas quais acendo velas roxas, representando a grande chama púrpura que protege a todos nós e uma figura representando o Grande Veado de Sete Chifres, um de nossos totens protetores.

Honrem estes ancestrais da forma como seus corações ordenarem e logo poderão ouvir seus sussurros ao longo da noite, lhes oferecendo proteção, poder e conhecimento.

#Lgbt #Wicca #Ativismo

© 2020

Arte, Magia & Liberdade 

Criado por Lua Valentia 

  • clube de autores
  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Instagram
  • SoundCloud ícone social
  • Spotify ícone social