Entrevistando Ursula, a menina perseguida por sua luz


Pelo menos uma vez na vida já ouvimos a palavra médium, que são pessoas com a habilidade de falar e libertar corpos presos entre este mundo e o astral. Elas são pessoas poderosas e incríveis, entretanto, há pessoas (muitas pessoas) que simplesmente decidiram não aceitar seu sexto sentido.

Hoje, tive a oportunidade de entrevistar uma jovem de 18 anos que tem esse poder - entretanto, ela não quis se identificar para não encher de pessoas em suas redes sociais perguntando porque não quis aceitar seu grande poder, por isso preferiu ser apelidada de Ursula. Bom, sem mais delongas, vamos lá!

Quando descobriu que tinha este sexto sentido?

Minha mãe tinha acabado de se separar do meu pai, então foi para um terreiro de umbanda para fazer um descarrego para livrar a negatividade que recebeu com a separação e me levou junto. Lá, o Pai de Santo foi até mim e contou para minha mãe que eu tinha o poder da mediunidade e emanava uma energia poderosa demais para uma criança de 8 ou 9 anos.

Isso atrapalha o seu dia-a-dia?

Não atrapalha meu dia-a-dia, mas chega a ser uma coisa a mais. Por exemplo, quando chego perto de um cemitério, minha pressão cai, quando vou em terreiro passo mal e é difícil para mim até para ir na igreja!

Por que decidiu não expandir isso para uma mediunidade?

Tive problemas no primeiro terreiro que fui, que seria o lugar em que expandiria minha mediunidade, entretanto, aconteceram alguns problemas que não quero falar sobre. Mas mesmo assim, não me sinto preparada, tenho medo de acabar mais atrapalhando do que ajudando, tanto eles quanto eu;

Pretende expandí-la um dia?

Pretendo, mas sei que não será em um futuro próximo.

Você tem alguém que te seguia em busca de salvação, mas que se tornou um obsessor?

Sim. Mas não quero falar sobre ela.

Te persegue até hoje?

Sim, ainda não encontrei alguém que conseguisse afastá-la.

Ela é poderosa?

Pelo impacto que causou, me faz pensar que sim.

Como assim, "pelo impacto que causou"?

Ela me trouxe depressão, tentativas de suicídio, conflitos familiares, deturpação da minha paz interior - o que gerou mudanças constantes de humor, entre outras coisas. Ela causou mais problemas no meu interior do que fora.

Já falou com algum espírito que procurava sua salvação?

Não diretamente, mas muitas vezes sonho que tenho que salvar pessoas que nunca vi, sem falar que as vezes pessoas estranhas entram em meus sonhos pedindo para que eu mande recados para gente que não conheço. São mais pesadelos do que sonhos.

Já sofreu paralisia do sono que correspondia diretamente com seu sexto sentido? Como eram?

Sim. Eu me via fora do meu corpo e via "seres" que eram mais escuros do que o escuro do quarto, um preto que jamais tinha visto em toda a minha vida. Eles me prendiam em minha cama e eu sentia meu corpo se debater, só que eu continuava presa e imóvel. E também tinha vezes que sentia uma pressão enorme em meu peito que me impossibilitava de respirar. E ninguém nunca me salvava: tive que aprender a me livrar deles sozinha. Agora eu consigo controlar isso com minha própria mente - quando acontece, falo a mim mesma que preciso e que consigo escapar e vou utilizando o poder da mente para quebrar essas "correntes". Mas depois disso, não consigo mais dormir por medo. Não sei o quão forte sou, e também não sei quão forte eles são.

O que você faz quando acorda desse horror?

Acendo uma vela para Yemanja e Yansã (que é minha mãe na Umbanda) e um incenso para certas entidades da umbanda ou para paz. O cheiro do incenso me traz essa paz e eu vejo o acender da vela como o acender de uma luz contra tudo isso - a energia da vela acesa já me reconforta um pouco contra tudo isso. Mas é claro que não sou nenhuma guia: tem gente que vai na igreja, tem gente que vai no terreiro, que volta a dormir, etc.

Voltando para essa obsessora, seus parentes ou amigos já viram ela?

Minha mãe e meu namorados. Eles viram uma garota enforcada, uma vez no meu banheiro e outra no quarto do meu irmão.

Agora vamos para umas perguntas de alguns leitores curiosos! Tudo bem?

Ah, tudo bem! (risos)

Gabriel Costa perguntou: "Eu gostaria saber se ela já tentou resolver a questão desses corpos, e como; e sela já tentou banir, e como (e se funcionou!)"

Eu tentei fazer banimento uma vez na minha vida, sem orientação, apenas com o que algumas pessoas me disseram. Acendi uma vela preta no banheiro (disseram para eu acender lá), porém depois que eu acendi, alguns minutos depois, os três copos que eu tinha usado naquele dia quebraram sem nenhuma explicação aparente, a porta do meu quarto bateu e então a janela abriu com tanta força que parecia como se alguém tivesse chutado ela. Depois que eu comecei a abrir minha mente para o ocultismo, piorou mais ainda: comecei a me sentir mal fazendo os mesmos rituais que as pessoas faziam e se sentiam bem. Acho que abri a porta errada e sofro com isso até hoje. Sabe aquela garota que falei no começo? Acredito que eu irritei ela com esse banimento e sofro com isso até hoje. Por isso uma recomendação: não faça nada sem saber o que está fazendo.

Doglas Bobinski perguntou: "gostaria de saber como você lida com esses espíritos"

Não lido! (risos). Apenas ignoro.

Louise Santos perguntou: ela segue alguma religião? Qual? Tirando a linha evangélica e os céticos, as demais religiões tem um estudo de desenvolvimento da espiritualidade e da evolução. Espíritas, candoblé, até mesmo o catolicismo moderno possui um viés. Como ela lida com essas questões de religiosidade?

Então, desde pequena eu sempre busquei no que acreditar, antes mesmo de eu descobrir minha mediunidade. Então tentei umbanda, mas fui afastada por certas razões que não quero falar, então procurei um terreiro confiável, pois é a religião que mais tenho fé, por assim dizer. Tentei muito tempo ser cristã, mas os padres e tutores nunca me abraçaram como eu abracei eles, então decidi crer em energias: na energia do arquétipo de um tal deus ou um tal santo. Acredito que independente do que você acredita, o que vale é a força energética por trás disso.

Essa foi a entrevista com Ursula, uma jovem de 18 anos perseguida por espíritos em busca de salvação, mas não consegue salvar a si mesma antes de tudo. Uma menina que sofreu por causa disso, mas continua caminhando, seja rastejando ou de pé!

Até a próxima! Caos, Energia e Felicidades!


© 2020

Arte, Magia & Liberdade 

Criado por Lua Valentia 

  • clube de autores
  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Instagram
  • SoundCloud ícone social
  • Spotify ícone social