Deusas negras: Sekhmet


Aproveitando a fase minguante da Lua eu resolvi escrever um pouco sobre as deusas negras para lembrarmos um pouco do sagrado feminino. A escolhida para começar foi a deusa egípcia Sekhmet, seu nome significando literalmente fêmea poderosa e apesar de ser uma deusa solar carrega bastante as características consideradas da fase negra da Lua.

Sekhmet é um dos unicos deuses egípcios que aceitam sangue em seu culto e apesar de seu lado guerreira ser bastante destacada em seu mito ela também é uma deusa associada á cura, sendo venerada por médicos, principalmente cirurgiões, no Egito Antigo.

Seus epítetos são:

-Olho de Rá

-A Senhora Vermelha

- Destruidora das pragas

- Senhora do encantamento

- Aquela que desejou o nascimento das artes

- Senhora da matança

- Aquela que é poderosa

- Aquela que vem antes dos temores malignos

- Amante dos temores

Seu culto era dominante no Alto Egito, era invocada para preces de justiça, gravidez, vingança, proteção para os médicos, saude e contra doenças e intoxicações alimentares. Alguns mitos dizem ter sido criada por Rá para sua proteção, enquanto outros alegam que nasceu de Geb e Nut.

Bast e Sekhmet são irmãs mas não são fases de uma deusa em comum.

Suas cores são o vermelho e o dourado, como oferenda gosta de alimentos picantes e/ou exoticos, flores relacionadas á cura, romã e cerveja vermelha. Aparece nas 42 confissões negativas, onde o morto tem que jurar que amou a si mesmo.

Créditos: wepwawet.wiki

Texto produzido por Daniele Cristófani

#Egito #Deusas #Sekhmet

© 2020

Arte, Magia & Liberdade 

Criado por Lua Valentia 

  • clube de autores
  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Instagram
  • SoundCloud ícone social
  • Spotify ícone social