O VORTEX DE THANATEROS

Este ritual é uma cortesia da IOT-Bis. A tradução deste ritual foi realizada com a autorização da IOT.


• Inspire e chame "HA!" explosivamente enquanto bata palmas uma vez.


• Aponte o dedo indicador/varinha/ponteiro à sua frente, chamando "CHAOS!" (Vazio, fonte da criação). Visualize uma pequena esfera de luz na ponta do ponteiro.


• Desenhe uma linha vertical de luz à sua frente, chamando "OURANOS!" no topo e "CHTHONOS!" na parte inferior (reino celestial, submundo).


• Traga o ponteiro de volta para o centro; continue visualizando a linha.


• Desenhe uma linha de luz perpendicular à primeira linha, chamando "PHŌS!" em uma extremidade e "EREBOS!" no outro (Luz, Escuridão).


• Traga o ponteiro de volta para o centro; continue visualizando as linhas.


• Desenhe outra linha de luz em um ângulo de 45 graus em relação às duas primeiras, chamando "PYR!" em uma extremidade e "AITHER!" no outro (Fogo, Ar).


• Traga o ponteiro de volta para o centro; continue visualizando as linhas.


• Desenhe uma linha de luz perpendicular à linha anterior, chamando "HYDOR!" em uma extremidade e "GĒ!" no outro (Água, Terra).


• Agora você deve estar vendo uma Estrela do Caos completa de luz à sua frente. Gire aquela Estrela do Caos com uma mão, chamando "THANATEROS!" (Morte e Vida, Manifestação e Dissolução em constante intercâmbio).


• Gire suas mãos e respire no Vórtice para acelerar seu giro inicial e energizá-lo. Visualize-o ficando mais forte, mais rápido, até que abra um portal para o Vazio do Caos.


Faça alguma mágica com o Vortex. Desenhe sigilos no ar e lance-os nele, cante encantamentos nele, envie energia para ele, e assim por diante; use-o, talvez, como uma tela de vidência para invocar presenças ou para ver psiquicamente. O Vórtice deleta traços psíquicos e cargas mágicas de objetos inseridos nele.


Quando terminar com o Vórtice de Thanateros:


• Aponte o dedo indicador para ele, chamando "LOGOS!" (razão).


• Depois também o dedo médio, chamando "PISTIS!" (fé).


• Em seguida, também o seu polegar, chamando "GNOSE!" (conhecimento direto).


• Use os três dígitos estendidos para girar um dial imaginário à sua frente, fechando o Vórtice de Thanateros, enquanto chama "ĒDĒ! ĒDĒ!" (já, já). Deixe o Vortex desaparecer.


COMENTÁRIOS


Este rito revisa e simplifica o comumente conhecido Rito do Vórtice, substituindo o Uraniano Barbárico pelo Grego, que é suficientemente estranho para muitos de nós para funcionar tão bem como Uraniano Barbárico como um véu sobre a compreensão consciente dos termos. O grego está profundamente enraizado na magia do Ocidente e, portanto, é particularmente apropriado.


O Vórtice de Thanateros basicamente abre um buraco na realidade através do qual o mago pode imprimir no Caos sem forma tudo o que for desejado ou buscado; e assim impresso, seja o que for, pode surgir como manifestação no mundo. O transe leve é ​​útil o tempo todo, já que alguma visualização é necessária, mas o mago precisa ser capaz de fazer as coisas.


O grito explosivo e as palmas no início deixam o mago fisicamente no lugar e tais movimentos têm sido tradicionalmente usados ​​para limpar os espíritos de um espaço.


As próximas ações são essencialmente desenhar uma estrela de 8 braços no ar à sua frente, com CHAOS, o Vazio, a fonte mítica de manifestação, no centro.


As duas primeiras linhas desenhadas criam uma cruz '+' que representa as polaridades. No contexto do Vortex, essas polaridades coexistem, criando uma gama total de possibilidades.


OURANOS e CHTHONOS são os Outros mundos do mito acima e abaixo, cercando o mundo do aqui-e-agora. PHŌS e EREBOS representam todas as dualidades: positivo / negativo, preto / branco, ligado / desligado e assim por diante.


As próximas duas linhas são diagonais e representam os quatro elementos clássicos. afinal, a matéria-prima da manifestação, conceitos inventados pelos gregos. Aqui, as sugestões do mythos são revestidas de conceitos de filosofia.


A Estrela do Caos completa é girada, como a Roda da Fortuna. O grito de "THANATEROS!" chama as dualidades últimas: Vida e Morte, Manifestação e Dissolução, solve et coagula, o Surgimento e o Desaparecimento que é uma característica de todos os fenômenos, todos ligados em uma única palavra.


É aqui que a capacidade de manter uma visualização realmente entra em ação e o transe leve é ​​realmente útil. No entanto, como acontece com todas as visualizações, você não precisa ser incapaz de diferenciá-lo dos chamados objetos 'reais'. Você só precisa saber se ele está lá, à medida que o mantém girando e faz o trabalho planejado.


Fechar o Vórtice de Thanateros usa um gesto de girar um dial, uma afirmação de controle, e o mago invoca as faculdades relevantes do mago: razão, fé e gnose. A razão é aqui entendida como a faculdade de chegar a relatos viáveis ​​do mundo, uma razão, por assim dizer; fé, a faculdade de se envolver emocionalmente com tais relatos, e conhecimento direto insight não mediado por conceitos. Em atos de magia, seu Logos é qualquer sistema conceitual ou estético com o qual você está trabalhando, seu Pistis é a expectativa de que funcionará aqui e agora, e sua Gnose é sua experiência direta de magia e manifestação.


As palavras "ĒDĒ! ĒDĒ!" eram comuns a feitiços da antiguidade, como se dissessem aos deuses ou espíritos que se apressassem; "faça já!", geralmente na fórmula frequentemente traduzida como "Agora, agora; imediatamente, imediatamente." O mago fecha o Vórtice de Thanateros sabendo que a vontade do mago já foi forjada. A coisa está feita.

Posts recentes

Ver tudo

© 2020

Arte, Magia & Liberdade 

Criado por Lua Valentia 

  • clube de autores
  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Instagram
  • SoundCloud ícone social
  • Spotify ícone social