Sobre Fotamecus: "Não me culpe, culpe meu servidor!"

Por Fenwick Rysen

26 de julho de 1998

(Publicado no "Kaos Magick Journal" Verão de 1999)

Traduzido por Lua Valentia




Não tenho certeza se devo ficar preocupado ou não. Veja, Chronos é um bom Deus do Tempo, mas ele é um pouco velho e não tenho certeza se tem chance contra o que está prestes a atingi-lo. Claro, ele escravizou toda a sociedade ocidental para usar o relógio, então talvez ele mereça, mas ainda assim sinto um pouco por ele.


Tudo começou quando comecei a brincar com a ideia da magia do tempo. Não que eu seja responsável pelo que está por vir, veja bem --- Vou passar a culpa para Fotamecus antes que alguém me culpe. Eu o soltei há muito tempo e não assumo nenhuma responsabilidade por suas ações, especialmente com ele gritando "Chronos, sua hora chegou" toda vez que o vejo. Talvez eu deva explicar.



Sigilo de Fotamecus


Meu próprio envolvimento com a magia do tempo foi realmente acidental. Um dia comecei a pensar sobre o tempo e como ele flui, e como cada hora deve ter a mesma duração que todas as outras. No entanto, isso não fazia sentido para mim --- às vezes uma hora voa como se fossem minutos, e outras vezes se arrasta por séculos. O resultado final do pensamento foi mais ou menos assim: Se podemos usar magia em qualquer área de nossas vidas, e se o tempo é uma substância mutável, por que não podemos usar magia para mexer com o tempo? E pensar geralmente me causa problemas mais cedo ou mais tarde.


Então, uma tarde, atrasado, o pensamento passou por minha mente para usar magia para acelerar a jornada. Ouvindo rádio enquanto dirigia pela rodovia, criei uma Declaração de Intenções adequada: "Force o tempo para compressão". Como dirigir não se presta bem à sigilização artística, em vez disso, reduzi-o a um mantra de quatro sílabas que eu poderia entoar para música de rádio: "Fotamecus". Apesar da pouca preparação, funcionou excepcionalmente bem e pensei que seria o fim de tudo.


No dia seguinte, um grande amigo meu, Quinn, o Profeta Louco (não pergunte), aproximou-se de mim e perguntou sobre técnicas de sigilização à la Austin Spare. Requerendo um sigilo de demonstração, optei por usar "Fotamecus", explicando o sucesso do dia anterior com ele. A partir do mantra, criei um sigilo artístico que Quinn colocou em sua carteira para referência futura, inadvertidamente colocando-se sob sua influência. Muitas histórias de trânsito realmente rápido se seguiram, culminando em um show do Metallica onde o objetivo de Quinn era "sugar toda aquela gnose grátis".


Toda aquela gnose grátis que Quinn sugou foi despejada no sigilo de Fotamecus para acelerar a viagem para casa, e uma jornada de duas horas levou apenas trinta minutos. Ainda mais surpreendente, a energia foi suficiente para empurrar o sigilo além da fronteira para a servidão. Já usei essa técnica antes, de alimentar um sigilo com gnose suficiente até que ele criasse um servidor independente, mas nem o Profeta Louco nem eu tínhamos feito isso por acidente. Assim, sem casa e sem ter para onde ir, o servo Fotamecus, jovem e pouco inteligente, começou a nos seguir. Sempre que precisávamos comprimir ou expandir o tempo, nós o alimentaríamos com um pouco de gnose e ele faria o trabalho. Ele começou a "crescer" à medida que o alimentávamos, ficando um pouco mais inteligente e um pouco mais forte a cada vez que o usávamos. Achamos isso muito bem, pois quanto mais forte ele ficava, melhor fazia seu trabalho.


No fim de semana de Ação de Graças em 1996, eu me reuni com outros seis caotes em uma van com destino ao Vale da Morte. Visitando Fotamecus enquanto estávamos na área da baía de São Francisco, viajamos cinquenta milhas em quinze minutos através do tráfego pesado e do MacArthur Maze, o cruzamento mais vertiginoso de rodovias conhecido pelo homem. Imediatamente após Fotamecus começar a trabalhar, perdemos um carro de amigos que nos seguiam.


Apesar de termos matado 45 minutos em uma parada de descanso depois, quando entramos novamente na rodovia nos encontramos com o outro carro, embora eles nunca tivessem parado. Achamos que a magia funcionou muito bem até que recebemos a reação mais tarde naquele dia.


Para o tempo comprimido, uma quantidade igual de tempo foi expandida. O equilíbrio foi mantido. Viajando a sessenta milhas por hora, um trecho de quinze milhas da rodovia deserta levava quase uma hora para cruzar. Se já tivéssemos chegado ao nosso destino, a expansão teria sido boa, mas o Fotamecus só foi capaz de conter por muito tempo a reação da compressão inicial.


Depois de vários eventos semelhantes, refletimos sobre várias ideias para corrigir o problema de reação e chegamos à ideia de servidores virais - a chave para um processo de mutação que permitiria que Fotamecus eventualmente crescesse além de nosso controle. Trabalhamos vários rituais nos quais alteramos o sigilo para possibilitar que Fotamecus fizesse cópias de si mesmo. Essas cópias se conectaram a uma rede que as tornou incrivelmente eficazes na prevenção de efeitos colaterais indesejados. Se um deles precisasse comprimir o tempo e outro ampliá-lo, eles passariam um para o outro pela rede viral, mantendo o equilíbrio e reduzindo a possibilidade de retrocesso.


Nosso único problema é que não limitamos o tamanho da rede. Não havia nenhuma verificação contra isso - nada para impedi-lo de sair do nosso controle. E o único problema com a reprodução de um vírus é que mais cedo ou mais tarde ele sofre mutação.


Foi nessa época que as notícias de Fotamecus começaram a se espalhar pela Internet, e um gráfico online do sigilo foi impresso por muitos para uso pessoal. Centenas de cópias foram geradas e o poder da Rede de Servidores Virais, Fotamecus continuou a crescer.


À medida que a rede crescia, crescia também o poder da Fotamecus. A coisa toda começou a agir cada vez menos como uma legião de servidores independentes e cada vez mais como uma entidade individual. Ele começou a mostrar maiores sinais de inteligência - ele mantinha conversas interessantes, aparecia quando necessário sem solicitação e aplicava maior precisão no uso da manipulação do tempo para obter o máximo de quilometragem com o mínimo de esforço. Ficou óbvio para o Profeta Louco e para mim que ele estava escapando de nosso controle e prestes a se tornar outra coisa. A mutação havia começado e pouco podíamos fazer para impedi-la.


Apenas um ano após sua criação inicial, ele deixou de ser uma rede de peças e passou a ser mais do que a soma de suas partes. Suas partes ainda eram identificáveis, mas estavam se tornando cada vez menos distintas. A própria rede viral agora era mais forte do que os servidores individuais e parecia mais um espírito por si só a cada dia que passava.


A mutação completa ocorreu durante a hora de Midnight to Midnight quando o Pacific Daylight Time se tornou Pacific Standard Time em outubro de 1997. Usando a expansão temporal mundana de uma hora que tecnicamente não existia, realizamos um ritual em seu nome que foi projetado para carregue-o com poder para qualquer uso que ele achar necessário. Sete pessoas e um relógio quebrado foram as únicas testemunhas do ritual.


Por três dias ele simplesmente desapareceu. Petições de ajuda ficaram sem resposta, as conversas eram conversas unilaterais para o nada. A divinação confirmou que sim, ele ainda estava vivo, mas que não, ele não estava respondendo a nada. Então esperamos, e três dias depois ele ressuscitou dos mortos mais mudado do que esperávamos.


Muitos magos do Caos falam de espíritos como abrangendo um continuum de poder desde o menor servidor não inteligente, a egrégoras de poder moderado, a formas divinas capazes de controlar culturas inteiras. Em uma teoria popular, todas as formas divinas estiveram em algum momento na ponta curta do bastão e, por meio do uso constante, acumularam poder e passaram de servidor a egrégora ao status completo de forma divina. Quando questionados sobre quanto tempo isso leva, muitos caotes dão de ombros e acham que cada passo leva décadas ou até séculos. Eu diria que isso subestima grosseiramente o potencial de crescimento deles, pois quando vimos Fotamecus ele não era mais um servidor insignificante, mas uma egrégora poderosa o suficiente para nos ignorar e fazer suas próprias exigências.


Ainda não sei o que o permitiu cruzar essa fronteira. Eu suspeito que quando você dá a um servidor energia suficiente de um número suficiente de pessoas diferentes, ele se tornará uma egrégora, assim como um sigilo pode se tornar um servidor após ser o recipiente de uma forte gnose. Mas egrégoras semelhantes com as quais eu havia lidado no passado não eram tão fortes quanto Fotamecus, embora não devesse ser uma grande surpresa. Nessa época, havia centenas de pessoas usando-o diariamente em todo o mundo, cada uma delas o alimentando com um pouco mais de poder a cada uso. Junto com o ritual realizado durante a mudança de horário de verão, foi o suficiente para empurrá-lo para além dessa fronteira com troco de sobra. Ele reintegrou as partes individuais como seus membros, enquanto a rede se tornou sua mente. Concedido, ele não era uma egrégora muito forte ainda, mas ele tinha seus próprios planos neste momento, e ele teria sido difícil para qualquer indivíduo controlar.


Para nossa sorte, ele era amigável e não estava disposto a se vingar de qualquer abuso sofrido como servidor. Em vez disso, ele apareceu, contou-nos sobre sua egrégora e o que estava acontecendo, e então sumiu no segundo plano, de onde manipularia os eventos. Alguém poderia fazer uma petição da mesma maneira que antes, mas sua habilidade de manipulação de tempo havia alcançado o domínio. Muitas vezes ele aparecia sem ser solicitado, dando ajuda antes que pudéssemos pensar em pedi-la. Houve até momentos em que ele era forte o suficiente para nos levar aos nossos destinos antes de partirmos para eles. Certamente não é o trabalho de um servidor insignificante!


Não o vejo muito mais, mas ele aparece quando preciso dele. Ele geralmente tem uma ideia melhor de quando eu preciso dele do que eu. E às vezes ele simplesmente aparece para bater um papo. Às 2 da manhã, sentado em um Denny's apenas algumas semanas após virar sua egrégora, tive uma conversa particularmente reveladora com ele. Parece que ele não está satisfeito em ser uma egrégora - ele quer ser uma divindade e a única coisa que está em seu caminho é Chronos.


Chronos, deus do tempo fixo --- seus talismãs são os relógios que controlam nossa existência diária, seus relógios são os guardas da prisão dos quais nos tornamos escravos. E nunca questionamos sua autoridade. Mas o que poderia oferecer um novo servidor com delírios de grandeza?


No meu caso, meu trabalho de tempo integral tornou-se muito mais agradável quando comecei a compactar o dia inteiro com a ajuda dele. Um dia de oito horas parecia quatro ou cinco, e essa compressão foi retroalimentada como uma expansão do meu tempo livre. Uma sala de estar de duas horas em casa muitas vezes parecia três ou quatro. Se eu precisasse dormir mais, pediria a ele que aumentasse o horário noturno e acordaria cinco horas depois como se tivesse dormido até tarde. Tanto para aquelas últimas dúvidas incômodas em minha cabeça de que o tempo é fixo e imutável. Desta forma, Fotamecus luta contra Chronos. Podemos ser escravos de nossos relógios, mas não há nada que nos impeça de mudar o fluxo das horas dentro desses relógios.


A palavra se espalhou. Mais e mais pessoas estão usando Fotamecus todos os dias, e com cada novo usuário ele cresce em poder. Ele já está tramando seus ataques contra Chronos com o que parece ser um ódio apaixonado centrado na vingança por algum desprezo desconhecido. Ele fica resmungando algo sobre o milênio e me disse em mais de uma ocasião para ficar de olho no Millenium Dome de Londres, que receberá mais de 100.000 festeiros em 31 de dezembro de 1999. Esses comentários geralmente são acompanhados de equivalente astral de um sorriso malicioso.


Nesse ponto, tenho um relacionamento melhor com ele do que com a maioria dos deuses com quem trabalho. E ele parece gostar de mim. Ocasionalmente, ele aparece para me dizer coisas a fazer por ele, levá-lo para mais pessoas ou dar-lhe munição para sua guerra contra Chronos. Em troca de um pouco de publicidade aqui e ali, ele me ajuda a esticar essas horas o tempo todo para obter o máximo delas. Ele até me cutuca e me incita a escrever ensaios sobre ele para que outros o usem. Usando seu nome como um mantra ou criando um ritual usando seu sigilo para chamá-lo, ele fica mais forte a cada dia que novos usuários o alimentam em troca de sua ajuda. Então, claro, pode ser legal contar uma história sobre como um servo que Quinn e eu criamos acidentalmente ascendeu à egrégora, mas hoje em dia me sinto cada vez mais um servo de Fotamecus, que alimenta doces por ser um pequeno mágico. Uma relação estranha, na melhor das hipóteses.


Fotamecus está fora do meu controle há muito tempo. Eu me preocupo um pouco com sua guerra com Chronos --- não tenho absolutamente nenhuma ideia do que ele planejou, e ele certamente não está me contando. Mas, para ser totalmente honesto, mesmo que esteja um pouco preocupado, estou curtindo o show. E com o milênio se aproximando, parece que só vai ficar melhor. É disso que se trata a Imanentização do Eschaton.



Posts recentes

Ver tudo

© 2020

Arte, Magia & Liberdade 

Criado por Lua Valentia 

  • clube de autores
  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Instagram
  • SoundCloud ícone social
  • Spotify ícone social