MAGIA E SEXISMO

Na corda bamba da vida, todos querem equilíbrio, mas muitos são educados desde a infância a quebrar libras. Balanças quebradas, com um só braço não tem utilidade, e por mais devoto que uma pessoa seja de uma divindade falocêntrica, seu inconsciente não o é. A solidão divina falocêntrica é prontamente quebrada com a implantação de uma contraparte (em geral submissa), para satisfazer líderes e seguidores, em uma misoginia divina velada, e o pior aplaudida. E ao verem pagãos comemorando o casamento de seus deuses, semicerram os olhos em reprovação. Mas todos querem ter alguém.  Até deuses. Deuses castrados não são felizes. Pessoas felizes dão as mãos e andam juntas, se equilibrando pela vida, lado a lado como iguais. Quem tenta se elevar acima de outros e acha isso natural não precisa de uma companhia. Precisa de uma escada. 
Ninguém tem o direito de moldar outra pessoa segundo preceitos pessoais, visto que somos seres que em muito falta para atingir a sapiência necessária para moldar a perfeição em si próprio, quanto mais noutra pessoa. Isso seria muita arrogância. A aceitação da imperfeição pessoal é um dos passos para a evolução e iluminação, que pode nos levar a um patamar mais alto. Mas não o último. De lugares mais altos, sempre vemos mais coisas, e é comum usarmos dos recursos extras que temos ali, mas as vezes não há como termos certeza se o que estamos fazendo é o correto ou o melhor para outras pessoas, ou para nós mesmos. Isso evidentemente se repete na magia. A magia acolhe todo tipo de pessoa, e muitos neófitos chegam com ferimentos espirituais dos mais diversos. Entre eles, a mágoa e o desejo de vingança. Esse texto é mais exatamente sobre o sexismo, pessoas que adentram em círculos místicos com uma mágoa sexista, achando ter encontrado um grupo de militantes sexistas. 
A magia não é sexista, homofóbica, racista ou preconceituosa.
Ela esta acima da misoginia e da filoginia.
É comum às pessoas que partilham de conceitos sexistas usarem seus canais de influência para proliferar seu idealismo de preconceito. Se você está dentro de um círculo onde se sente oprimido pelo comportamento dos líderes, seja pela sua posição filosófica ou sexual, saiba que você não é obrigado a se submeter a esse tipo de comportamento. Em último caso, se sentir ameaçado, você pode optar por acionar a lei de crimes cibernéticos (no caso de perseguição virtual), ou mesmo órgãos de segurança pública, no caso de perseguição literal. 
É comum que no meio mágico pagão, panteões com deuses casados, algo que soa estranho a leigos do paganismo. Mas dentro do paganismo, divindades “casadas” são muito comuns (senão obvias) e são reflexo do dualismo da natureza, também dividida em dois gêneros, o que levou aos místicos primitivos à conclusão que “divindades provavelmente possuem gêneros, assim como na natureza”. Isso faz parte da evolução espiritual humana, que com o passar do tempo acabou se rendendo em alguns lugares ao falocentrismo divino, conceito não apoiado pelos verdadeiros bruxos, que conhecem todas as nuances de interação divina entre os gêneros, macho e fêmea, hermafrodita e assexuado, resultando nas combinações mais diversas de deuses.
Pai e filha, Mãe e filho, Irmão e Irmã, Filho e Filha, Pai e Mãe, Esposo e Esposa, Macho e Fêmea, nas mais variadas formas de se enxergar o divino, o dualismo de gênero sempre tem algo a ensinar e inspirar a alma que busca iluminação através da magia. Se você adentrou um círculo para assediar, atacar ou de se vingar de uma mágoa pessoal, você pode estar fazendo um grande mal a você mesmo sem saber, e acabar atingindo pessoas inocentes que te acolheram. 
O machismo é uma das características mais comuns em diversas sociedades e isso inclui a brasileira que imputa valores machistas em todos os âmbitos, a ponto de mesmo mulheres afetadas pelo padrão, aceitarem como algo normal, chegando a se revoltar com quem busca a igualdade. 
Boa magia é caráter, igualdade, respeito, liberdade, poder, conhecimento e evolução.
Se seus conceitos pessoais visam segregar um certo grupo, por causa de gênero, cor ou fé, é recomendável fazer uma autoanálise e procurar exemplos de ocorridos semelhantes. Mas algo é quase certo: uma pessoa ferida dificilmente protegerá eficientemente outra pessoa ferida. Uma pessoa tola debilmente ensinará outra pessoa tola. Buscar uma pessoa que possui o mesmo vício, dificilmente trará a cura para qualquer um dos envolvidos na questão. A opinião diferente (incluindo as avessas) pode ser de grande valia para solução de um problema. Na dúvida, é bom lembrar que toda pessoa merece ser tratada como você gosta de ser tratada, e que você tem o direito a autodefesa (incluindo mágica) para salvaguardar-se, podendo inclusive acionar órgão público se acaso estiver sendo vítima de perseguição constante e ameaças.

Please reload

Please reload