Bibliomancia

15/06/2017

 

 

Em nossa jornada mística, sempre nos deparamos com aquele momento em que devemos decidir por um oráculo, muitos recorrem ao mundo complexo do tarot e outros se encantam com as esferas dos mais variados cristais, e diante de tantas opções exóticas, acabamos por esquecer de uma prática em que muitas vezes utilizamos, inconscientemente, ou por que vimos nossa avó fazer uma reza, pegar a Bíblia e abri-la, fincando o dedo em uma palavra, frase, parágrafo ou versículo, e naquele momento uma reflexão curiosa paira no ar. A essa prática, dá-se o nome de Bibliomancia... E não, não se realiza apenas com a Bíblia...

 

A palavra Bíblios, vem do grego e significa Livro, como muitos devem saber logo que pensam na palavra Biblioteca. A Bibliomancia é portanto, uma prática mágica na qual podemos obter respostas lendo uma frase ou uma palavra na qual se encaixe nas circunstâncias de nossos problemas ou curiosidade.

 

Porém, irei mais longe.

 

O motivo da própria Bíblia ter sido o livro no qual mais comumente vemos as pessoas praticarem Bibliomancia, se da pela enorme gama de palavras, simbologias, histórias, e claro antes de tudo, pela crença de muitas pessoas no poder que aquela palavra tem. Curiosamente, a própria bíblia condena a prática, e o que mais vemos hoje na internet, são líderes religiosos tentando alertar seus seguidores a não praticar bibliomancia com a bíblia pois esse tipo de prática é algo profano e de alguma forma o Diabo, (sempre o inteligente Diabo) conseguirá de alguma forma ludibriar seus Bibliomantes de dogmas nos quais a Bíblia é o livro sagrado e poderá passar informações falsas que confundirão o consulente e assim, novamente, o Diabo se apoderará da vida das pobres ovelhas para servi-las em seu banquete de almas. (Feel the Sarcasm)

 

Mas voltando: É a arte oracular no qual permite obter absolutamente qualquer tipo de resposta através de não só um, mas absolutamente quaisquer livros em que sejam depositadas a crença do mago. Ou seja, seus próprios livros de magia que os instrui a procurar um oráculo, pode ser um oráculo! Antes de sair torrando dinheiro por ai, é muito bom considerar seus próprios livros como métodos de adivinhação, que inclusive, ajudarão a afiar sua intuição para outros métodos de adivinhação mais complicados. Uma luz no fim do túnel pra quem realmente achava que só poderia praticar suas adivinhações quando tivesse que adquirir recursos para comprar Runas, tarots, etc etc etc.

 

Vale considerar que quanto mais símbolos, significados, textos variados e de múltiplos assuntos um livro possui, mais amplo é a gama de respostas, porém, o ingrediente principal da prática é a sua crença nas palavras de um determinado livro.

 

Se perceber, alguns livros possuem suas próprias egrégoras, e alimentamos esse mundo com nossa imaginação apenas ao lê-lo, ou melhor, ativamos aquela egrégora em nossas vidas ao lê-lo. perceberá facilmente como há livros que nos levam a atmosferas mais densas e outros nos reenergizam por completo , nos provocando risos e fertilizando nossa imaginação. A egrégora de um livro pode estar diretamente ligadas a um Deus/Deusa, por exemplo: Um livro sobre Lilith por exemplo, por mais fictício que seja, poderá ser um ótimo veículo direto para obter respostas da própria Deusa, tudo vai depender da sua conexão, e até mesmo amor, que você possui pelo livro, sua história e sua deidade. Um Livro sobre Hécate pode ser riquíssimo em sabedoria e práticas mágicas nas quais recorrer para poder resolver um assunto.

 

Você pode até reservar um único livro para ser o principal na sua prática de Bibliomancia, o "genérico" (Eu utilizo o grimório para Aprendiz de Feitiçeiro de Oberon Zell -Ravenheart), porém, um livro que tenha a egrégora mais aproximada ao tipo de pergunta ou assunto que quer saber, com certeza poderá ser utilizado. Um Livro sobre economia por exemplo, ou sobre magia de prosperidade, pode ser ótimo para questões financeiras. Um romance cheio de altos e baixos é perfeito para responder perguntas sobre relacionamentos amorosos. Livros de mitologia para saber qual Deus acessar para um determinado problema, ou qual história Grega pode conter o ensinamento correto para nos assimilarmos, ou para saber quais Deuses querem se conectar conosco, são excelentes. A Variedade é certa... há todo tipo de livros para todas as ocasiões, e caso não encontre algum, terá o seu "genérico" como opção. O Dicionário é um excelente Genérico também visto que cada palavra é uma forma de símbolo escrito que nos faz automaticamente pensar na representação daquela palavra.

 

Recomendo também, que se consagre o livro para essas práticas, ou que desenvolva-se um sigilo no qual será projetado com a mente em frente a capa do livro escolhido, designando o início de uma prática de adivinhação com aquele livro. Porém, realmente consagrar a Bibliomancia a uma deidade pode ser uma opção inteligente, não só por que é uma forma de criarmos uma ponte direta de comunicação com a Egrégora, mas uma forma de imbuir o livro com aquela energia, protegendo de qualquer energia externa que possa vir a atrapalhar no momento sagrado e receptivo que é a execução da mancia. 

 

 Além de poder consagrar o livro a uma entidade específica caso o livro seja inteiramente a essa entidade, poderá também preferir por alguma deidade que governe os livros, palavras, escritas, ou artes Divinatórias no geral.

- As Moiras/ Parcas / Nornes

- Hécate

- Thot

- Seshat

- Freya

- Apolo

- Deuses Oniscientes: Odin, Zeus, Hera Rá, Isis etc...

- Algumas Fadas, Ciganas, Pomba-Giras , etc. Especialistas em adivinhação. (Seres e entidades também são bem vindas)

 

Entre os Deuses abordados, acredito que Toth e Seshat se enquadram melhor nessa prática.

 

Algumas Deidades e entidades tem preferências no tipo de oráculo a se realizar, Oxum gosta de Búzios, Ciganas gostam de Cartas, mas converse com eles e veja se estes estão dispostos a lhe ajudar na prática, aumentando sua precisão e alinhando-o para receber a mensagem precisa do livro, alguns terão essas entidades como Padrinhos/Madrinhas. A maioria dos Deuses gostam muito de livros, visto que é um dos melhores veículos utilizados durante séculos no qual podemos conhecê-los. Escrever livros para deidades é uma excelente forma de propagar sua egrégora e honrá-las, os Deuses muito apreciam que sua energia possa ser difundida através da escrita.

 

Ou, caso precise de alguma coisa mais prática e rápida e não pretende ou não acha necessário designar o livro a uma Deidade, pode-se realizar um banimento de sua preferência antes de abrir o livro, assim a prática é realizada sem nenhum tipo de interferência energética, e isso inclui formas pensamentos perambulantes, suas e de outras pessoas.

 

Caso o consulente esteja no momento com um forte escudo protetor realizado em rituais anteriores ou provenientes de amuletos que carrega consigo, também poderá praticar Bibliomancia sem interferências.

Também é possível criar palavras mágicas de comando, para que um escudo se forme ao redor do livro e do praticante sempre que for realizar a magia.

 

Dessa maneira, uma visita a Biblioteca, ou até mesmo livrarias, pode ser excelente naquele momento em que estamos no centrão da cidade, uma dúvida lhe surge e o tarot não está com você no momento, basta utilizar sua intuição e sentidos para identificar um livro que você sinta que poderá lhe responder melhor a dúvida, ou que lhe ajude a descobrir algo novo no qual precise aprender e assimilar. Deixe sua intuição aberta pois aquilo que você busca também tende a ir ao seu encontro, o Livro com certeza brilhará aos seus olhos e lhe trará alguma segurança. Caso suspeite que não é o livro certo, continue procurando. O Livro consagrado como "Genérico" é sempre o livro certo em casos de Dúvidas, e se for compacto, pode ser carregado consigo aonde quer que vá.

 

Acredito que quanto mais se pratica, melhor nosso cérebro se prepara para um momento "bibliomantico"  e mais afiado pode ficar, aumentando sua precisão. Caso tenha dificuldades no começo, tente novamente, se persistirem respostas confusas, tente novamente outro dia, com o tempo, se alinhará melhor com a prática e poderá obter respostas de gelar a espinha... (como muitos já devem saber como é). Também pode ocorrer da palavra vir como um Enigma, necessitando que a gente quebre um pouco a cabeça para descobrir algo, ou que só faça sentido dias depois.

 

Esse tipo de prática é maravilhosa pois é uma forma de buscarmos as palavras-chave que nos ajudarão a preparar a mente para solucionar algo. O Mundo dos livros e das palavras é simplesmente imenso de símbolos e histórias, o que é perfeito para a adivinhação

 

Para concluir, uma frase:

Se uma Biblioteca é um Mar de palavras, o praticante de Bibliomancia então, se trata de um pescador.

 

 

 

 

 

 

 

Please reload

Please reload