Movimento Resistência!

30/01/2018

Assim como nos EUA, vamos trazer este movimento para o Brasil. Estamos convocando todas as pessoas que queiram participar e espalhar este sigilo pelo país. 

 

O QUE É 


Resistência contra a opressão. A favor da liberdade de expressão de todas as pessoas. Por eleições transparentes. Por mais racionalidade na hora do voto. Pela liberdade de crença, de amor. Pelo diálogo. Por um país mais unido e melhor. Vamos espalhar esta ideia! 

Nós estamos na Idade Mídia. Portanto, informação é poder, é capital simbólico, uma das principais moedas de troca. A mídia tradicional reforça o poder de quem está no governo e se esforça para empurrar a ultrapassada e conhecida narrativa para a população em geral, de forma que a necessidade de muitos é sempre substituída pela vontade eleitoreira de poucos. 
Andamos pelas lojas de shoppings e raramente nos perguntamos de onde vem o que compramos. Com água encanada, que vem até nós como um passe de mágica, num simples abrir de torneira, não pensamos no problema da sede. Com as prateleiras cheias do supermercado, não pensamos como em é sentir fome. 
O que nos incomoda é quando a água acaba. Quando o calor é muito. Não percebemos que este problema está diretamente ligado à falta de árvores. São as árvores, seres tecnológicos, que melhoram a qualidade de água. A falta de árvores se dá por causa do desmatamento. E o desmatamento, por sua vez, está ligado diretamente à política nacional. 

 Pagamos caro para ostentar marcas. Queremos parecer interessantes e com muito estilo. Viramos cabide para as mais importantes grifes. Sem saber como certos produtos são produzidos, acabamos financiando o trabalho escravo contemporâneo. Sem querer querendo. Mas a ignorância nem sempre é uma benção. Sim, a escravidão ainda sobrevive e muitas vezes não nos importamos em sequer fiscalizar ou pesquisar mais sobre o que compramos.
Apenas aqui no Brasil, cerca de 500 empresas estão na lista suja do trabalho (humano) escravo. Para a pessoa desinformada, parece que alguns humanos são mais superiores que outros. O problema de nos acharmos superiores a tudo é que podemos justificar nossa face predatória e, consequentemente, a destruição de nós mesmos. 
Vivemos numa sociedade que há milênios vem oprimindo as mulheres, escravizando as pessoas negras e matando as comunidades indígenas em disputa por terras. 
Por outro lado, diversas vozes ocupam as ruas. Se há um ponto em comum entre as reivindicações é que as ações do Estado não representam a vontade popular.
Nós nos posicionamos contra a moda escrava, o consumo exagerado, a apatia, a opressão
Queremos difundir o conhecimento: as práticas sustentáveis para a sobrevivência da espécie. Mas sobreviver não é tudo. Queremos dignidade, saúde, paz. 
A narrativa da Specula, assim como a Ou Seja, acompanha os alicerces da contracultura, contestando os meios de comunicação tradicionais e o conservadorismo vigente. É progressista por defender os direitos humanos a partir duma agenda política voltada para o público feminista, LGBT, negro, indígena e para qualquer minoria que se perceba prejudicada moral ou fisicamente. 

Então assim se faz uma dualidade: de um lado está a declaração dos direitos humanos, que é um pacto internacional para garantir que todas as pessoas nasçam livres e gozem de sua liberdade durante toda a vida. De outro, temos uma bancada a favor dos interesses de uma minoria. 

Não é à toa que a declaração dos Direitos Humanos é considerada, ao mesmo tempo, básica e utópica. Básica porque deveria abranger direitos para todas as pessoas, independente de gênero, orientação sexual, classes sociais, expressões fenotípicas e culturais. Utópica porque alcançar tais direitos parece ser algo tão inatingível justamente porque há uma agenda política que os considera um atraso econômico. 

 

O QUE FAZER

 

Espalhe a notícia! Pinte camisetas, faça colagens, adesivos e o que você preferir para espalhar o sigilo, esta é a melhor forma de ativá-lo. Use o sigilo caso precise se conectar com aqueles que pensam como você. Mostre o sigilo para mais pessoas. Pinte o sigilo em si mesmo, na sua roupa. Faça bottons. Não deixe a ideia morrer, simplesmente espalhe por aí. Caso você use o sigilo em alguma manifestação artística, mande fotos para specula.magia@gmail.com

 

Please reload

Please reload