SUA ATENÇÃO É MINHA!

06/03/2018

 

 

Capitalizaram a sua atenção! Transformaram a sua atenção em um produto para ser vendido, negociado, barganhado e consumido por quem estiver disposto a pagar mais! Duvida? pense em páginas de humor, com vídeos de gatinho, esportes radicias e tutoriais de culinária. Eles acumulam curtidas, compartilhamentos e vários comentários em seus feeds. Mas todo esse conteúdo, disposto assim, numa cartela de boas risadas e diversão, vem com um preço.

 

Em 1984, George Orwell conta sobre um mundo onde a informação seria absolutamente controlada pelo Estado. Ele vigia a todos pelos olhos do Grande Irmão (que inspirou o programa Big Brother). Por outro lado, em Admirável Mundo Novo de Aldous Huxley, a verdade não precisaria ser ocultada de ninguém, pois ela se perderia em um mar de irrelevância, um enorme jorro de informações ininterrupto que manteria as pessoas distraídas e afastadas da verdade.

O nosso cenário pós-moderno tem tons ainda mais sombrios: as pessoas controlam o que vêem, mas da maneira mais inconsciente possível. Algorítimos calculam quais são os tipos de conteúdos que temos maior probabilidade de gostar e nos alimentam de mais do mesmo, sempre, mais do mesmo, mais e mais do mesmo, sempre!

E esse jorro constante de informações tornou a digestão dessas informações cada vez mais acelerada, impaciente, bulímica! Mensagens curtas e marcantes, frases rápidas e engraçadinhas. A pobreza de conteúdo tornou-se a regra. E para conquistar esse breve instante de atenção dos usuários, as páginas de negócios passaram a ser forçadas a pagar para propagandear mesmo os seus conteúdos mais despretensiosos. É aqui que a sua atenção passou a ser monetizada. Cada visualização, cada comentários, cada curtida, tudo: quantificado, retificado e monetizado! 

 

Mas essa é apenas uma das formas de enxergar a situação. Sejamos sinceros, estamos todos, a todo momento, tentando vender algo para alguém. Postamos fotos bonitas para vender nossa auto-imagem para que as outras pessoas paguem com curtidas, comentários e elogios. Vendemos para os outros a imagem de quem gostaríamos de ser e recebemos de volta a resposta que pode nos enaltecer ou destruir por dentro. Largue mão da hipocrisia e assuma: você também faz parte do jogo de imitações e repetições.

 

E olhando por um terceiro viés, capitalizam a sua atenção para venderem para marcas maiores. Transformaram seu engajamento em estatística para Influencers ganharem patrocínio e fazerem merchant de outras marcas em seus canais de YouTube, contas de Instagram e outros canais. Ou você acha mesmo que aquela pessoa bacana e despojada está fazendo tutoriais de Magia do Caos por que é boazinha? Essa pessoa quer te vender alguma coisa! Só você não descobriu ainda!

 

E quando você não é o consumidor, você pode ser o produto! Serviços gratuitos de "veja como você seria no gênero oposto" podem colher informações suas e as vender para outras empresas! Infelizmente, o facebook não é tão seletivo quanto a quem disponibiliza esses aplicativos em sua rede. Todo cuidado ainda é pouco.

Deixe de ser ingênuo e tome nota: estão todos, o tempo todo, tentando vender alguma coisa. Mesmo grupos de facebook servem como balanço de engajamento e aglutinação de potenciais compradores para o produto de terceiros. Basta saber se você está ou não interessado em comprar.

 

 

 

 

 

Please reload

Please reload